quarta-feira, 25 de julho de 2012

As voltas do cordão de pérolas

Que não me caibo com tanto
sentir em mim não nego
ao peito prescrevo versos
para vários males remédio

A alma cabendo no entanto
explodo em verborragias 
cérebro pulsante tem magia
a cor das palavras no canto

coleciono rimas desmesuradas
fitas com que me amarras
ao peito a paixão rasgada
é assim tão entregue

às voltas do cordão-de-pérolas reluzente

meu ardor por ti
com todo verbo-presente
Amo-te pura e simplesmente
encanta-me nau Poesia

Joice Furtado - 25/07/2012

1 comentários:

Letra e Ato disse...

Venho acompanhando sua poesia. Você vem me surpreendendo positivamente, com frequência. Desta vez, coloca na linguagem do século XXI um Catulo, um Ovídio... Não é fácil. Parabéns.