quarta-feira, 21 de março de 2012

Raiz do Orvalho



Assim me debruço
na janela do poema
escolho a minha própria neblina
e permito-me ouvir
o leve respirar dos objectos
sepultados em silêncio
e eu invento o que escrevo
escrevendo para me inventar
e tudo me adormece
porque tudo desperta
a secreta voz da infância

Trecho do poema Raiz de Orvalho - Mia Couto

1 comentários:

Suu Munizz disse...

Belíssimo!!!!!Um ótimo final de semana pra vc,abraço,=)