quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Poeira de estrelas




Derrama da cor dos seus lábios
nos lábios rosados de quem lhe ama
Reitera quantas vezes preciso
e espalha pelo corpo
aquilo que é chama.
Sua formosa visão
fazendo brilhar a retina,
anuncia aos ventos,
palpita
meu zeloso coração.
Um tanto irrequieto,
ando pelas ruas, ando deserto,
vislumbrando nas dunas
miragens suspirantes,
paisagens de você.

Moinhos e batalhas campais
já enfrentei
Sentado no quarto, sozinho
vejo as estrelas faiscantes,
belas,
que se dispersam nesse universo,
eu e você
Estrelas, em tudo estrelas
brilhantes a me percorrer.
Atando elas ao peito
continuo, mesmo que em prantos,
galáctica campanha do viver.


Joice Furtado - 02/02/2012

1 comentários:

RIKARDO BARRETTO disse...

Sempre surpreendente!!! Já sou seu admirador!!