domingo, 3 de fevereiro de 2013

Trinado poema



Imagem: Steven Kenny

Fiz dos poemas pássaros
livres sentidos
contanto aprisionados
em folhas de papel

Na mente via-os com asas
tal Ícaro
voavam em direção ao Sol
fundiam-se ao calor dinâmico

Tirei meus pássaros da gaiola
era sombria
eles, tão tristes, piavam 
trinados góticos 

Uma expressionista, diriam
abri-me às próprias críticas
repudiei preconceitos
fiz-me nova
sem vício, sem título, sem roupa 
ou hipocrisia (sempre fica um ranço, inevitável digo

Acalorada mulher
peculiar amor à vida, ao conhecimento
- desejo
intenso -  mais desejo

o que me move...
tão radical, instantes perdi
infindos
cato-lhes a beira do caminho feito flores
ferem meus dedos, insisto

- do que nos privamos,
deixamos de viver plenamente! - 

Joice Furtado - 30/01/2013

1 comentários:

Karinne Santiago disse...

o hálito amante inebria os pássaros...asas enamoradas...ardem em libido.

Beijos!!