quarta-feira, 19 de junho de 2013

A dor do mundo

Foto: Web

Se o sangue explode em fúria
fáusticos tições 
acendem a noite abrupta

guerra nas ruas
atrás das mesas, chefões
sorriem. Quanta irreverência!

uma pedra na cabeça
menos uma no telhado 
de vidro é o nosso Estado
cívico

quebradiço argumento
legislativo & fraudulento & abasta(r)do
desumano corrompedor dos fracos

pobres de nós
economizamos almoço para janta
quanto vale 20 centavos ao que ganha
tão pouco? - Muito, sim!

lá na Praça 
Bandeira tremula
e o povo estrangu-
lado
      a lado
com pelotão de choque
cresce a insatisfação

mas eis que surgem, salafrários
em seus casacos brilhantes
nos bolsos são como antes, roubadores
abutres roendo olhos dessa
                                mortificada nação

algo grande está para acontecer 
ouvem-se os alaridos das gentes
ressonante é a dor do mundo.

Joice Furtado

1 comentários:

AC Rangel disse...

Muito sensível e real.
Eles estão mesmo abusando, maltratando o povo brasileiro.
Parabéns e um beijo