segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Natureza

Foto: Adrian Borba

Eu mordi lábios
- muitos! - 
pescoços, orelhas e troncos
também pernas, pés
dedos até as pontas chupei

em cada extremidade e vão
ali gostosamente trabalhava
viciei-me nos sexos
quanto mais provei, mais quis
deliciavam-me as úmidas áreas

rejeições? Não! Nunca acolhi
dono desse meu corpo
farejo e sempre encontro
aquele que me é de agrado

egoísta? Talvez
porém nunca fui burguês
que dirá empregado

sustento-me da miséria alheia
causo reboliços fenomenais
multiplico xingamentos
desde tempos memoriais

recrio com prazer tamanho
toda atmosfera putrefata
também de nada me envergonho
gozo frente as corrupções e pragas

essa é a minha natureza vã
tão caprichosa e solícita

dos nomes nem me recordo
jamais gostei de listas...

Verme eu sou
até o resto do fim
enfim
consumirei por inteiro

Joice Furtado - 31/12/2012

1 comentários:

Karinne Santiago disse...

Um amor objetal...

Beijos!!